Afinal, a comida da festa junina engorda?

Lacoste apresenta o L001: Um tênis elegante carregado de história
1 de julho de 2022
Condomínios com serviços padrão hotelaria ganham força no mercado
1 de julho de 2022

Especialista explica que o equilíbrio é a chave e que é possível se deliciar com os alimentos típicos sem engordar

A Festa Junina é muito esperada pelos brasileiros. É nessa data que todos tem a oportunidade de se deliciar com comidas típicas e se divertir com as atrações que marcam a tradição das comemorações. No entanto, as tentações podem apresentar um risco para aqueles que buscam se manter em forma. 

É muito difícil manter a dieta em uma data tão esperada. Irani Gomes dos Santos Souza, nutricionista e coordenadora do curso de Nutrição da Faculdade Santa Marcelina, explica que “é fundamental lembrar que se trata de uma festa típica e muito esperada por todos. Por esse motivo, os alimentos devem ser consumidos, mas o exagero não deve ser estimulado”. 

Existe uma desvantagem climática para esse período festivo, que dificulta o autocontrole. Junho marca o início do inverno e, no frio, o corpo gasta mais energia para se manter aquecido. Consequentemente, a fome aumenta. Mas, de acordo com a especialista, existem estratégias para driblar essa sensação. Irani destaca que “as melhores escolhas são preparações feitas com alimentos termogênicos, como por exemplo canela e gengibre, e também alimentos ricos em fibras, sendo o milho um excelente exemplo”.  

No caso de restrições alimentares, também é importante prestar atenção nas escolhas na hora de consumir. Para os diabéticos, é necessário optar por produtos sem açúcar e sem mel. “Ressalta-se que existe um leque importante no mercado já produzindo alimentos típicos da época substituindo o açúcar ou mel por adoçante, sem perder o sabor e textura dos alimentos típicos das festas juninas”, comenta Irani.  

Para os intolerantes à lactose e alérgicos ao leite, a estratégia é investigar os ingredientes utilizados na preparação das comidas e escolher aquelas que não apresentam nenhum risco à saúde. Mas Irani explica que, independentemente das restrições alimentares, o consumo excessivo sempre é comprometedor e leva à sobrecarga do organismo.  

A especialista destaca que “as comidas típicas engordam, assim como qualquer alimento consumido em grande quantidade”. Ou seja, para os preocupados em manter o corpo em forma, não é necessário restringir nada, apenas consumir de forma equilibrada e consciente. “Sugiro aproveitar esse período de festividade consumido os alimentos típicos, mas entendendo que ano que vem tem mais e que esse momento deve trazer alegria e não frustração com consumo excessivo”, finaliza Irani.  

Sobre a Faculdade Santa Marcelina

Faculdade Santa Marcelina é uma instituição mantida pela Associação Santa Marcelina – ASM, fundada em 1º de janeiro de 1915 como entidade filantrópica. Desde o início, os princípios de orientação, formação e educação da juventude foram os alicerces do trabalho das Irmãs Marcelinas. Em São Paulo, as unidades de ensino superior iniciaram seus trabalhos nos bairros de Perdizes, em 1929, e Itaquera, em 1999. Para os estudantes é oferecida toda a infraestrutura necessária para o desenvolvimento intelectual e social, formando profissionais em cursos de Graduação e Pós-Graduação (Lato Sensu). Na unidade Perdizes os cursos oferecidos são: Música, Licenciatura em Música, Artes Visuais, Licenciatura em Artes Plásticas e Moda. Já na unidade Itaquera são oferecidas graduações em Administração, Ciências Contábeis, Enfermagem, Fisioterapia, Psicologia, Medicina, Nutrição, Tecnologia em Radiologia e Tecnologia em Estética e Cosmética.