Walk-in Closet: saiba tudo sobre esse ambiente que virou tendência

Corpus Christi: Vila Inglesa terá workshop de queijos e vinhos, recreação e sunset com DJ
14 de maio de 2024
Tiffany & Co. revela nova loja no Miami Design District
14 de maio de 2024

Esse jeito elegante e funcional de armazenar roupas, calçados e acessórios é uma das mais novas apostas de quem tem bastante espaço disponível, funcionando como uma loja particular em casa. Com ele, a escolha do vestuário se tornou uma experiência exclusiva

Sonho de consumo de muitas pessoas, os Walk-in Closets trouxeram um novo ponto de vista para a forma de armazenar as roupas, sapatos e acessórios, deixando de ser apenas espaços adjacentes aos dormitórios e suítes e ganhando protagonismo em projetos sofisticados e personalizados. Afinal, além de serem ambientes importantes de autocuidado, viraram sinônimo de organização e praticidade ao reunirem todo o acervo de roupas, sapatos, acessórios e condensarem todas as peças em um lugar único, versátil e elegante. Entre tantas vantagens, são ótimos para casais que necessitam deixar as peças separadas ou para quem faz da escolha do vestuário um momento exclusivo, uma experiência diária diferente e especial. Mas é preciso ter uma certa área disponível, pois andar entre os armários é o que torna essa sensação realmente completa, sem contar na elegância necessária não só na execução da marcenaria como na impecável organização das roupas.

Confira a seguir, algumas dicas de arquitetas que trabalham com esse tipo de ambiente e entenda como certos recursos potencializam os closets deixando a experiência de uso muito mais imersiva, confortável e aperfeiçoada.

Foto: Nenad Radovanovic Fotografia

Fechado ou aberto?

É comum que em um primeiro momento surja uma dúvida no que diz respeito aos Walk-in closets: eles são necessariamente abertos ou fechados? A resposta é que podem ser executados das duas maneiras, contanto que exista um espaço mais amplo para circulação dentro da delimitação do cômodo.

foto: Julia Novoa

Independentemente da escolha do modelo desejado, tanto o closet aberto quanto o fechado precisam de alguns recursos arquitetônicos para funcionarem de maneira prática e otimizada, principalmente no que diz respeito à organização e armazenamento das roupas, sapatos e acessórios. Por isso, o perfil do ambiente pede que se tenham prateleiras, cabideiros, gavetas, sapateiras ou caixas organizadoras, deixando o acervo preservado e resguardado em setores próprios.

fotos: Rafael Renzo

Luz em foco

Um recurso importante que se deve planejar no momento da concepção do espaço é a iluminação interna do closet, afinal nem sempre será possível ter janelas no espaço destinado ao cômodo. Por isso, contar com um projeto luminotécnico que forneça uma luz adequada é uma maneira de deixar o ambiente mais prático e também confortável, principalmente para a saúde dos olhos.

foto: Julia Herman

Além disso, contar com uma boa fonte de luz garante uma visualização mais assertiva das peças de roupa e suas tonalidades, facilitando os momentos de combinação e de montar os looks para diferentes ocasiões.

Acessórios poderosos para o Walk-in

Para deixar a experiência do closet ainda mais imersiva, é possível contar com alguns acessórios na decoração desses espaços que, além de tornar o ambiente mais aconchegante, turbinam a praticidade! São eles: os pufes, as penteadeiras e as ilhas!

Confira a seguir como essas peças se adequam na decoração e deixam o momento de se arrumar ainda mais otimizado e confortável.

 

fotos: Julia Herman/Kadu Lopes

Pufes: são peças auxiliares para quando é necessário se sentar, principalmente para o calçar e experimentar os sapatos. O mobiliário também pode servir de apoio para peças de roupa, descanso, apoio e muito mais! No ambiente da arquiteta Ana Rozenblit, ela combinou um grande pufe rosa com um tapete felpudo pra lá de confortável.

Inserir o pufe no centro do closet é o ideal, assim ele oferece uma atuação 360°. É possível contar, também, com peças mais amplas ou em formato mais compacto, o importante é que ela não ocupe um espaço em demasia dentro do closet e nem atrapalhe a fluidez do caminhar pelo espaço. A peça escolhida por Ana Rozenblit nesse cenário foi um pufe com base dourada, trazendo sofisticação e elegância para o cômodo.

Foto: Mariana Camargo

Penteadeiras: são ideais para closets que possuem um espaço maior e para quem deseja transformar o espaço em um ambiente multiuso, onde até mesmo a maquiagem e o cabelo possam ser estilizados por ali. Nessas ocasiões é sempre importante contar com um espelho para arrematar o cantinho e facilitar as atividades de autocuidado, como fez a arquiteta Daniela Funari ao inserir o elemento em formato orgânico e instalado diretamente no teto da edificação

Julia Novoa Fotografia 

Ilhas – oferecem uma bancada de apoio e até espaço para gavetas e compartimentos, dependendo da peça escolhida, uma ilha no closet cria mais possibilidades de organização, principalmente quando executadas em marcenaria inteligente para personalizar as medidas e repartições. Na ocasião, a arquiteta Ana Rozenblit aproveitou o espaço vazio entre os armários para erguer uma ilha com gavetas e gavetões, utilizando a mesma tonalidade na marcenaria de todo o cômodo.

É sempre importante pensar na ilha como uma peça que precisa ornar com todo o projeto de interiores do closet, assim combiná-la com armários em cor e acabamento potencializa o décor e impede que a peça fique desconfigurada dentro da harmonia do ambiente. Neste apartamento, a arquiteta Daniela Funari trouxe uma ilha branca, na mesma tonalidade do guarda-roupa e puxadores estilizados na parte da frente do móvel (à esquerda) e ripado na de trás (à direita)

Sobre as arquitetas:

Andrea Teixeira Arquitetura e Interiores

(11) 3168-3285

E-mail: contato@atarquitetos.com.br

@andrea.teixeira_arquitetura

Daniela Funari Arquitetura 

(11) 95500 0293

@danielafunariarquitetura

danielafunariarquitetura@gmail.com

Spaço Interior 

www.spacointerior.com.br

@spacointerior

(11) 98753-4033 (WhatsApp)

Foto: Rafael Renzo