O Câncer da Tireoide é um dos mais comuns entre tumores de cabeça e pescoço. Uma das grandes novidades é o tratamento individualizado. Entenda mais!

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Julho é o Mês da Conscientização sobre o Câncer de Cabeça e Pescoço. A campanha é conhecida mundialmente como Julho Verde

O Câncer da Tireoide é um dos mais comuns entre tumores de cabeça e pescoço. Nódulos na tireoide irão afetar cerca de 60% da população brasileira durante algum momento na vida, sendo que 15% desses serão malignos. Especialistas alertam que qualquer alteração deve ser investigada, pois havendo algum tipo de anormalidade, o paciente poderá iniciar o tratamento necessário mais rapidamente.

Uma das grandes novidades no tratamento desse tipo de câncer de cabeça e pescoço tem sido o “tratamento individualizado para o câncer da tireoide”. O médico cirurgião de cabeça e pescoço do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Dr. Erivelto Volpi, explica:

“Antes, todos pacientes com câncer de tireoide eram submetidos a uma tireidectomia total mais tratamento com iodo radioativo. Hoje, devido aos novos conhecimentos adquiridos sobre o comportamento biológico desse tipo de tumor, como por exemplo localização, tamanho e tipo de célula, além das características do paciente, como idade, sexo e antecedentes familiares, é possível estabelecer tratamentos individualizados. Ou seja, definimos os procedimentos de acordo com cada paciente. Após as análises, podemos não operar, realizar uma tireidectomia parcial ou total, utilizar ou não o iodo radioativo ou mesmo fazer uma cirurgia mais ampla do que a tireidectomia, caso seja indicada”.

Mulheres acima dos 35 anos são o principal grupo de risco para esse tipo de câncer, mas também pode ser observado em jovens e em idosos – dos 25 aos 65 anos – e em pessoas expostas à radiação no pescoço e na cabeça. “O Câncer da Tireoide já é o quinto mais frequente entre as mulheres e o 17º entre os homens”, esclarece Dr. Erivelto Volpi.

Dentre os fatores de risco para o câncer da tireoide vale ressaltar o histórico familiar de câncer da tireoide e a exposição à radiação. Em termos de prevenção, é importante que o paciente seja sempre examinado através de exame clínico seguido, quando necessário, de ultrassom. “Seus sintomas são silenciosos e, por isso, é fundamental o autoexame da tireoide sempre que possível. O mais expressivo é a palpação de um nódulo na tireoide, ou seja, na região anterior do pescoço”, explica Dr. Volpi.

Diagnóstico – O diagnóstico de câncer da tireoide é feito através de uma punção realizada por meio de uma agulha fina, aplicada diretamente no nódulo. O procedimento é simples e pouco doloroso. É retirada menos de uma gotinha do nódulo para que seja averiguado o diagnóstico. A punção do nódulo deve ser guiada por uma ultrassonografia.

Tipos – Existem quatro tipos de câncer da tireoide: papilífero (o mais comum e menos agressivo), folicular (também pouco agressivo), medular e anaplásico (bem agressivo e raro, que costuma ter uma sobrevida curta de 6 meses a 1 ano, mas geralmente acomete pessoas mais idosas).

O diagnóstico do câncer de tireoide tem aumentado nos últimos anos devido ao aumento do uso do ultrassom de tireoide, que permite a detecção de pequenos nódulos, que não poderiam ser diagnosticados no passado.

Sobre o Dr. Erivelto Volpi

Dr. Erivelto Volpi é cirurgião de cabeça e pescoço do Hospital Alemão Oswaldo Cruz e professor de medicina da Faculdade de Medicina UNINOVE. Dr. Volpi é um dos quatro especialistas brasileiros a compor o comitê científico internacional da Campanha Mundial do Câncer de Cabeça e Pescoço da International Federation of Head and Neck Oncologic Societies, que acontece em julho (Julho Verde).

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.