Curitiba Vôlei apresenta equipe para Superliga

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Time paranaense disputa a principal divisão do Campeonato Brasileiro de Voleibol Feminino

Um projeto apadrinhado por dois grandes esportistas de Curitiba tem a paixão pelo esporte na essência de tudo. É assim que, para a temporada 2018/2019, surge o novo Curitiba Vôlei, equipe campeã da Superliga B feminina que vai disputar a primeira divisão do Campeonato Brasileiro de Voleibol Feminino – Superliga A. O time foi apresentado oficialmente nesta quinta-feira, 13 de setembro, na Universidade Positivo (UP).

O Curitiba Vôlei surgiu em agosto de 2016 e, desde então é apadrinhado por Giba, considerado um dos maiores jogadores da história do vôlei, e por Gisele Miró, ex-tenista olímpica. Por isso mesmo, o campeão olímpico Giba, mesmo residindo atualmente na Polônia, fez questão de estar presente no lançamento oficial da equipe do Curitiba Vôlei na temporada 2018/2019. “Não poderia ficar de fora neste importante momento da história do vôlei no Paraná pelo qual lutamos tanto para resgatar a paixão do Curitibano. Mais especial ainda por se tratar de um projeto que envolve pessoas e marcas que considero muito”, diz Giba.

Desde o início, o projeto está sob o comando técnico de Clésio Prado e a liderança dentro de quadra da experiente Valeskinha, campeã olímpica em Pequim (2008), com a Seleção Brasileira. Além disso, a equipe de trabalho é composta por pratas da casa. “Uma das nossas preocupações desde o início é valorizar os profissionais paranaenses”, diz Clésio Prado.

A novidade para esta temporada é a junção da educação com o esporte em um projeto de alto rendimento. O patrocínio da Universidade Positivo (UP) vem fortalecer ainda mais a equipe, já que traz lado a lado a educação e o esporte como o grande alicerce do futuro. Afinal, a ideia é deixar o Curitiba Vôlei como espelho dentro da Universidade e no meio acadêmico. “Quem sabe em breve, novas marcas também venham fazer parte do nosso sonho”, sugere Gisele Miró.

Do elenco campeão da Superliga B, continuam no time, além da central e medalhista Olímpica Valeskinha, a líbero Ana Eliza Caetano de Camargo (Aninha), a oposta Aline Aparecida Siqueira (Wime), e a central Vivi Góes. “Temos uma equipe que mescla a experiência e a juventude. Um time que se fortalece dia após dia, ciente dos desafios que irá enfrentar”, ressalta Clésio Prado, o primeiro parceiro de Emanuel no vôlei de praia. Há quase dois meses treinando para a Superliga, a equipe está composta atualmente por 14 atletas, mas o técnico afirma que ainda está atrás de reforços. “Pretendemos iniciar a temporada com entre 16 e 18 atletas no elenco”, esclarece o técnico.

Confira quem está no Curitiba Vôlei:

  • Viviane de Góes Araújo – Vivi– central
  • Valeska Menezes – Valeskinha– central
  • Mariana Aquino – Mari Aquino– central (ex-Romênia)
  • Elis Bento – Elis Bento– ponteira (ex-França)
  • Ana Eliza Caetano de Camargo – Aninha– líbero
  • Juliana Paes Filippeli – Ju Paes– líbero (ex- Pinheiros)
  • Aline Aparecida Siqueira – Wime– oposta
  • Sabrina Machado – Sabrina Machado– oposta (ex-São Caetano)
  • Ana Cristina Porto – Ana Cristina– levantadora (ex-Barueri)
  • Mariana Galon – Galon– levantadora (ex-Valinhos)
  • Priscila Souza – Priscila– ponteira (ex-Brasília)
  • Isabela Paquiard – Paquiard– ponteira (ex-Brasília)
  • Talia Costa – Talia– oposta (sub23 ex-São Caetano)
  • Julieta Lazcano Colodrer – Lazcano– central (seleção Argentina)

Comissão técnica

  • Gisele Miró – diretora
  • Giba – padrinho
  • Patrícia Lima – supervisora
  • Clésio Prado – técnico
  • Tatiana Ribas – assistente técnica
  • Leandro Alves Moreira de Carvalho – auxiliar técnico
  • Henrique Silva dos Santos – preparador físico
  • Dr. Álvaro Chamecki – médico
  • Dra. Karen Castro – médica
  • Dr. José Mauro – cardiologista
  • Ana Maria Rebelo – fisioterapeuta
  • Bruno Correa Pereira da Silva – fisioterapeuta
  • Luis Câmara – fisioterapeuta
  • Fabiano Salgueirosa – fisiologista
  • Felipe Seleme – apoio técnico
  • Giovanni Zem – apoio técnico
  • Nelson Ramos- apoio técnico
  • Gilberto Gaertner – psicólogo
  • Bernardo Bernardi – nutricionista

Superliga

Depois de 15 anos, a cidade de Curitiba volta a receber os jogos da principal divisão do Campeonato Brasileiro de Voleibol Feminino. O Curitiba Vôlei é, atualmente, o único representante do Paraná na elite do esporte nacional. O campeonato é composto por uma fase classificatória em pontos corridos, turno e returno, quartas-de-final definidas em série melhor-de-três, semifinais em melhor-de-cinco e playoffs, que, agora, serão disputados em série melhor de três jogos – inclusive na final, quando o mando de quadra será dos clubes que estarão na disputa pelo título.

A primeira fase da Superliga 2018/2019 tem início em novembro deste ano. O Curitiba Vôlei terá 11 jogos em casa e outros 11 na casa dos adversários: Dentil Praia Clube (MG), Sesc-RJ, Minas Tênis Clube (MG), Osasco/Audax (SP), Hinode Barueri (SP), Fluminense (RJ), E.C. Pinheiros (SP), Sesi Vôlei Bauru (SP), São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP) e BRB/Brasília Vôlei (DF) e o Vôlei Balneário Camboriú (SC). O campeonato é televisionado pela SporTV. A previsão de datas para as três partidas que definirão o campeão da temporada é de 20 e 27 de abril de 2019 e, se preciso, 4 de maio. Modificações poderão ser feitas em função da televisão.

A premiação individual da Superliga Feminina de Vôlei 2018/2019 será por posição – e não mais por fundamento -, formando, assim, a seleção do campeonato. Além disso, serão premiadas a melhor jogadora de cada final, com o troféu VivaVôlei, e a melhor atleta da competição. De acordo com a tabela provisória, o primeiro jogo do Curitiba Vôlei deve ser dia 16 de novembro, às 20h30, no Rio de Janeiro, contra o Sesc-RJ, maior vencedor da história do vôlei brasileiro, sob o comando do técnico Bernardinho.

Segundo Gisele Miró, o principal objetivo da equipe é ficar entre as 10 melhores na primeira fase e, ao final do segundo turno, estarmos entre os 8 melhores e chegarmos nos play offs – “mas, acima do resultado, queremos resgatar a paixão do curitibano pelo vôlei, esporte que teve seus tempos áureos na cidade”, lembra. A modalidade virou febre na capital paranaense entre 1997 e 2004, quando o Rexona contagiou o público e levou os títulos nacionais de 1997/98 e 2000/01.

Sobre o Curitiba Vôlei

O Curitiba Vôlei é um projeto coordenado pelo ex-jogador e medalhista olímpico Giba e pela ex-tenista Gisele Miró. Com o comando do técnico Clésio Prado, 16 a 18 jogadoras farão parte da equipe. Um grupo muito experiente com jogadoras com passagem em equipes grandes de superliga, no qual a experiência mescla com a juventude. Até o momento, o time conta com os patrocínios da Universidade Positivo, Madero e Copel Telecom. E apoios da Prefeitura de Curitib, Artro, L’equipe, Razza esportes e Peróxidos do Brasil.

Sobre a Universidade Positivo

A Universidade Positivo concentra, na Educação Superior, a experiência educacional de mais de quatro décadas do Grupo Positivo. Atualmente, oferece 61 cursos de Graduação presenciais, três programas de Doutorado, quatro programas de Mestrado, mais de 150 programas de Especialização e MBA, cinco cursos de idiomas e dezenas de programas de Extensão. Conta com sete unidades em Curitiba, uma em Londrina (PR), uma em Joinville (SC), além de polos de Educação à Distância (EAD) em mais de 50 cidades espalhadas pelo Brasil. É considerada pelo MEC a melhor universidade privada do Paraná, pelo sexto ano consecutivo.

Crédito fotos: Diego Wladyka 

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.