Abertura da mostra “O Sangue no Alguidá” reúne apreciadores das artes visuais no MOCAA em Miami

O poder da customização em peças com valor sentimental agregado
17 de maio de 2024
New Balance celebra Grey Days em maio, honrando sua icônica cor cinza
17 de maio de 2024

Exposição colaborativa entre o artista brasileiro Gerson Fogaça e o escritor cubano Pedro Juan, destaca 28 obras no Museum of Contemporary Art of the Americas

O Museum of Contemporary Art of the Americas (MOCAA), localizado em 12063 SW 131st Ave, Miami, FL, Estados Unidos, reuniu na noite da última sexta-feira (10), apreciadores das artes visuais para a abertura da mostra “O Sangue no Alguidá”, exposição colaborativa entre o artista brasileiro Gerson Fogaça e o escritor cubano Pedro Juan Gutiérrez. Após uma censura polêmica no Brasil, em 2019, que resultou em uma montagem urgente para ser apresentado, no Museu Nacional da República em Brasília, os visitantes do museu americano podem conferir o projeto original, incluindo todas as obras dos artistas.

Com curadoria assinada por Dayalis González Perdomo e produção de Malu da Cunha, a exposição mergulha no realismo sujo latino-americano ao retratar os paralelos sombrios entre as narrativas de Gutiérrez e as pinturas de Fogaça. A coleção apresentada conta com 28 obras que combinam pintura, colagem e fotografia, evocando temas como a degradação social e a sensualidade através de um submundo que ressoa com a literatura de Gutiérrez.

“Esta é minha primeira vez participando presencialmente de um evento artístico na cidade, embora já tenha participado de uma exposição virtual na Universidade de Miami. Este museu tem se destacado pelo seu apoio a artistas latino-americanos, refletindo assim a rica diversidade cultural de Miami. A cidade se destaca por sua arte contemporânea e moderna, fotografia, videoarte, instalações e performances, consolidando-se como um centro internacional de inovação artística”, resume o artista plástico brasileiro Gerson Fogaça.

foto: divulgação