23 de Maio de 2018

Memórias Afetivas por Ronaldo Silvestre

“Algumas memórias têm gosto de saudade. Se eu fechar bem os olhos, lembro-me perfeitamente do único vestido que minha mãe tinha para ir à missa aos domingos. Da Dona Maristela que doou o lápis de cor usado para que eu pudesse ir à escola e da Dona Terezinha minha primeira professora que me ensinou a colorir…”. Tenho um arquivo mental com várias gavetas onde guardo minhas memórias afetivas. As boas ocupam as gavetas da frente, com destaque, com honra. Pretendo tirá-las do arquivo com frequência, acaricia-las, coloca-las para tomar sol para que durem bastante. A proposta para o Dragão Fashion […]